Renda Fixa

É o investimento realizado em títulos públicos e privados de renda fixa. Esse investimento pode ser direto, através da compra desses títulos, ou indireto, através de fundos de investimento. Quando você compra um título de renda fixa, empresta dinheiro ao emissor do papel, que pode ser um banco, uma empresa ou o governo. Em troca, recebe juros até a data de vencimento desse título, quando ocorre o resgate. Esses juros são a remuneração que você recebe por emprestar seu dinheiro.Na renda fixa você escolhe quanto vai investir, em quanto tempo vai retirar o dinheiro e qual retorno esperado. Você pode acertar a remuneração no momento da aplicação ou acompanhar as oscilações das taxas de juros e esperar o vencimento do título. Se você quer investir seu dinheiro, mas não gosta de correr muitos riscos, renda fixa é o produto ideal para você. 



 

 

 

São títulos emitidos pelo governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para financiamento da dívida pública e para projetos na área federal como educação, saúde, tecnologia, infraestrutura, entre outros.

São títulos considerados de risco zero pelo mercado, porque você empresta dinheiro ao Governo Federal que é o emissor da moeda nacional.

– Liquidez na data do vencimento;

– Destinado para investidores qualificados;

Instrumento de captação dos bancos, com objetivo de financiar suas atividades, ou seja, você empresta dinheiro aos bancos em troca de uma rentabilidade (juros). Geralmente é indexado ao DI e são emitidos com prazo em torno de dois anos.

– Risco baixo para aplicações de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, por serem garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC);

– Retorno esperado: percentual do CDI preestabelecido no ato da compra do CDB;

– Ampla rede de bancos emissores;

– Investimento mínimo de R$ 20 mil.

 

Instrumento de captação dos bancos, com objetivo de financiar o setor imobiliário. São títulos de risco baixo para o investidor por contar com a mesma garantia que a Caderneta de Poupança conta do Fundo Garantidor de Crédito e ainda alienação fiduciária do imóvel.

– Liquidez na data do vencimento, que pode variar de 3 meses a 2 anos;

– Risco baixo para aplicações de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, por serem garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC);

– Alienação fiduciária do imóvel como garantia da operação;

– Títulos isentos de Imposto de Renda para pessoa física;

– Retorno esperado: percentual do CDI pré-estabelecido no ato de compra do título.

 

Título que concede o direito de receber receitas de um ou vários imóveis. Só podem ser emitidos por companhias securitizadoras, responsáveis por estruturar os créditos imobiliários e transformá-los em CRI`s.

– Liquidez baixa;

– Baixo Risco;

– Destinado para investidores qualificados;

– Possibilidade de remuneração atrelada à inflação + ganho real (prêmio) ou vinculada ao DI;

– Isenção de IR para pessoa física.

 

Título emitido por instituições financeiras públicas e privadas, vinculado a direitos creditórios originários de negócios na área rural, sejam financiamentos ou empréstimos para a produção agropecuária. O título representa promessa futura de pagamento em dinheiro, remunerada por percentual do CDI.

Por ser isento de Imposto de Renda é uma boa alternativa de investimento. Destinado para investidores qualificados.

– Liquidez na data do vencimento;

– Isenção de Imposto de Renda para pessoa física.

– Risco baixo para aplicações de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, por serem garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC);

 

Títulos de crédito emitido por companhias abertas não-financeiras dos mais variados ramos, com objetivo de financiar investimentos, rolagem de dívidas, fornecer capital de giro, entre outros. Cada uma tem uma estrutura específica, podendo ser remunerada pelos mais diferentes fatores. Cada vez mais estão se tornando um instrumento de capitalização das empresas, e a frequência de book buildings (processo de colocação) cresce a cada ano. São negociadas no balcão e registradas na CETIP ou BovespaFix.

– Liquidez diária;

– Acompanhamento da Área de Análise da XP específica para esse mercado. Você investe com estratégia;

– Grande variedade de emissores;

– Possibilidade de compor de várias maneiras a rentabilidade da carteira de investimentos (inflação, juros e prefixada).

 

 

Show Buttons
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Youtube
Hide Buttons